Terça-feira, 10 de Julho de 2007
A posição de Vênus em cada signo:

A posição de Vênus em cada signo diz muito sobre como a mulher lida com o desejo, como expõe seus sentimentos e afetos e como se vê como companheira e amante. É possível fazer um catálogo de descrições de comportamentos venusianos apenas com trechos das letras de Chico Buarque. Eis um primeiro esboço.

Para alguns signos foram citados trechos de mais de uma música. Houve também músicas de cujas letras retiraram-se estrofes diferentes, cada uma para um signo. Nem todos irão concordar com as correlações aqui propostas, mas certamente ninguém discordará de que daria um grande CD...

Vênus em Áries

Essa moça tá diferente
Já não me conhece mais
Está pra lá de pra frente
Está me passando pra trás
Essa moça tá decidida
A se supermodernizar
Ela só samba escondida
Que é pra ninguém reparar

Faço-lhe um concerto de flauta
E não lhe desperto emoção
Ela quer ver o astronauta
Descer na televisão
(Essa moça tá diferente)

Comentário: a moça deste samba também poderia ser aquariana, já que a independência é uma qualidade cultivada por ambos os signos, Áries e Aquário. Aliás, Áries em estado puro parece não ser exatamente a especialidade de Chico.

A senadora Heloisa Helena, geminiana veemente, tem a paixão terráquea de Vênus em Touro.

Vênus em Touro

Seis da tarde, como era de se esperar
Ela pega e me espera no portão
Diz que está muito louca prá beijar
E me beija com a boca de paixão
(Cotidiano)

O meu amor
Tem um jeito manso que é só seu
E que me deixa louca
Quando me beija a boca
A minha pele inteira fica arrepiada
E me beija com calma e fundo
Até minh'alma se sentir beijada, ai
(O meu amor)

Comentário: sensualidade, previsibilidade e receptividade são características da expressão afetiva de Vênus em Touro.

Vênus em Gêmeos

A metade do seu olhar está chamando prá luta aflita
E a metade quer madrugar na bodeguita
Se seus olhos eu for cantar, um seu olho me atura
E outro olho vai desmanchar toda a pintura
Ela pode rodopiar e mudar de figura,
A paloma do seu mirar virar miúra
(Tanto Amar)

A santa, às vezes troca meu nome, e some,
E some, nas altas da madrugada
A rosa, garante que é sempre minha
Quietinha, saiu pra comprar cigarro
Que sarro, trouxe umas coisas do norte,
Que sorte, voltou toda sorridente
Demente, inventa cada carícia,
Egípcia, me encontra e me vira a cara
Odara, gravou meu nome na blusa
Me acusa, me acusa, revista os bolsos da calça
A falsa, limpou a minha carteira
Maneira, pagou a nossa despesa
Beleza, na hora do bom que se queixa, me deixa,
A gueixa, que coisa mais amorosa, a rosa

Gisele Bundchen: os olhos frios e a expressão intelectualizada da mulher com Vênus em Gêmeos.

(A Rosa)

Comentário: Vênus em Gêmeos define mulheres que mudam de humor e de interesse como muda o vento; que expressam um afeto dual, onde o componente mental da curiosidade jamais deixa que a paixão predomine completamente. São muitas mulheres numa só. Como Chico Buarque tem Vênus e Lua em Gêmeos, esta é uma dimensão do feminino que ele sabe cantar muito bem.

Vênus em Câncer

Carolina,
Nos seus olhos tristes
Guarda tanto amor,
O amor que já não existe.
Eu bem que avisei, vai acabar,
De tudo lhe dei para aceitar,
Mil versos cantei pra lhe agradar,
Agora não sei como explicar...
Lá fora, amor!
Uma rosa morreu,
Uma festa acabou,
Nosso barco partiu...
Eu bem que mostrei a ela,
O tempo passou na janela
Só Carolina não viu.
(Carolina)

Então ela se fez bonita
como há muito tempo não queria ousar
Com seu vestido decotado,
cheirando a guardado de tanto esperar
Depois os dois deram-se os braços
como há muito tempo não se usava dar
E cheios de ternura e graça
foram para praça
e começaram a se abraçar
(Valsinha)

Comentário: Chico tem um caminhão de músicas que cantam a delicadeza de sentimentos da mulher lunar - aquela que imagina mais do que faz, ou que, de tanto imaginar, não vive. Aquela que se guarda, que se protege, que muitas vezes perde o momento, imersa em nostalgias fantasmagóricas. não é difícil imaginar Carolina como uma moça de grandes olhos aguados - marca registrada da Lua - enquanto o tempo (atributo do signo oposto, Capricórnio) implacavelmente passa na janela.

Vênus em Leão

Cantei, cantei
Jamais cantei tão lindo assim
E os homens lá pedindo bis,
Bêbados e febris
A se rasgar por mim.
(Bastidores)

Luz, quero luz,
Sei que além das cortinas
São palcos azuis
E infinitas cortinas
Com palcos atrás.
Arranca, vida, estufa, veia,
E pulsa, pulsa, pulsa, pulsa, pulsa,
Pulsa mais.
(Vida)

Comentário: Com três planetas leoninos, entre eles o vibrante Marte e o exagerado Júpiter, era previsível que, em algum momento, Chico cantasse a mulher cuja feminilidade (Vênus) se exteriorizasse de forma solar. Provavelmente, toda mulher com Vênus em Leão guarda dentro de si uma prima donna e sonha - mesmo que não ouse assumi-lo - com homens "bêbados e febris" a se rasgar por ela.

Vênus em Virgem

Todo dia ela faz tudo sempre igual
Me sacode às seis horas da manhã
Me sorri um sorriso pontual
E me beija com a boca de hortelã
Todo dia ela diz que é pra eu me cuidar
E essas coisas que diz toda mulher
Diz que está me esperando pro jantar
E me beija com a boca de café
(Cotidiano)

Comentário: Mesmo que Cotidiano não descreva cabalmente o comportamento da mulher com Vênus em Virgem, o ambiente e as situações são bem terráqueos - Virgem-Touro, para sermos mais precisos. Em vez de um palco, Vênus em Virgem precisa de um espaço de produção, uma rotina na qual possa movimentar-se à vontade e manifestar sua perícia e precisão. O "sorriso pontual", a "boca de hortelã" e o afeto que se expressa por pequenos gestos utilitários são atributos de Vênus neste signo de Mercúrio.

Vênus em Libra

E eu te farei as vontades,
direi meias verdades
Sempre à meia luz,
E te farei, vaidoso, supor
Que és o maior e que me possuis.
(Folhetim)

Minha solidão se sente acompanhada,
por isso às vezes sei que necessito
Teu colo, teu colo, eternamente, teu colo
Quando te vi eu bem que estava certo
de que me sentiria descoberto
A minha pele vai despindo aos poucos,
me abres o peito quando me acumulas
De amores, de amores, eternamente, de amores
Se alguma vez me sinto derrotado
eu abro mão do sol de cada dia
Rezando o credo que tu me ensinaste,
olho teu rosto e digo à ventania
Iolanda, Iolanda, eternamente, Iolanda
(Iolanda)

Comentário: Chega a ser decepcionante, mas, entre centenas de letras, Chico não tem uma única que expresse de forma inequívoca o comportamento de Vênus em Libra. Aqui e ali, porém, flagramos comportamentos ou toques librianos, como a disposição para a adulação e a lisonja da mulher de Folhetim, capaz de fazer seu parceiro pensar que é o maior e que a possui (se bem que Peixes também tenha esta característica, Vênus em Libra é especialista em agregar e jogar com a força do outro). Já a belíssima canção Iolanda está cheia de imagens cancerianas, mas descreve a mulher que tem de Libra ao menos um atributo nada desprezível: a capacidade de ser companheira e de dar suporte afetivo real. Iolanda é uma idealização do feminino, e só isso já a torna candidata a corporificar Vênus em seu signo de domicílio.

Cássia Eller tinha Vênus em Escorpião, feito uma aguardante que não sacia.

Vênus em Escorpião

O que será que será
Que dá dentro da gente, que não devia
Que desacata a gente, que é revelia
Que é feito uma aguardente que não sacia
Que é feito estar doente de uma folia
Que nem dez mandamentos vão conciliar
Nem todos os ungüentos vão aliviar
Nem todos os quebrantos, toda alquimia
(O que será)

Comentário: Escorpião é o exílio de Vênus. Ali, o princípio feminino não precisa ser doce nem diplomático. Escorpião tem asperezas, tem arestas, tem pulsões que jamais aliviam. Os versos de O que será, mais do que Vênus em Escorpião, descrevem de forma lapidar toda a diabólica agonia de um aspecto tenso Vênus-Plutão.

Vênus em Sagitário

Morena de Angola que leva
O chocalho amarrado na canela
Será que ela mexe o chocalho
Ou o chocalho é que mexe com ela.
Será que ela tá na cozinha
Guisando a galinha à cabidela
Será que esqueceu da galinha
E ficou batucando na panela
Será que no meio da mata
Na moita a morena inda chocalha
Será que ela não fica afoita
Pra dançar na chama da batalha.
(Morena de Angola)

Se nós, nas travessuras das noites eternas
Já confundimos tanto as nossas pernas
Diz com que pernas eu devo seguir

Se entornaste a nossa sorte pelo chão
Se na bagunça do teu coração
Meu sangue errou de veia e se perdeu

Como, se na desordem do armário embutido
Meu paletó enlaça o teu vestido
E o meu sapato inda pisa no teu
(Eu te Amo)

Comentário: Nas duas canções, dois momentos da alegre e extrovertida mulher com Vênus no signo de Júpiter. Chico também poderia ter cantado a filósofa, a mística, a moralista ou a ardente justiceira. Todas são personagens sagitarianas, mas a faceta que Chico parece preferir deste signo é mesmo a da alegria irreverente e desordeira, que tanto pode esquecer a galinha na panela quanto bagunçar o coração e a vida de alguém.

Vênus em Capricórnio

As jovens viúvas marcadas
e as gestantes abandonadas
não fazem cenas
Vestem-se de negro, se encolhem,
se conformam e se recolhem
Às suas novenas, serenas
Mirem-se no exemplo
daquelas mulheres de Atenas
Secam por seus maridos,
orgulho e raça de Atenas
(Mulheres de Atenas)

Comentário: a letra inteira de Mulheres de Atenas é uma aula de Astrologia. Troque-se o título Mulheres de Atenas por Mulheres de Capricórnio - ou mulheres com aspectos Vênus-Saturno - e eis o retrato da orgulhosa contenção, da rígida consciência de limites, do sacrifício do prazer imediato em nome de algo maior: o dever, o status, a reputação, as necessidades do Estado. Capricornianos também são os verbos encolher-se, conformar-se, recolher-se e secar.

Vênus em Aquário

Acontece que a donzela
- E isso era segredo dela
Também tinha seus caprichos
E a deitar com homem tão nobre
Tão cheirando a brilho e cobre
Preferia amar com os bichos

(Geni e o Zepelim)

Rita Lee exemplifica Vênus em Aquário.

Comentário: Geni nem é exatamente uma mulher (trata-se do homossexual de Ópera do Malandro), mas esta estrofe expressa uma característica marcante de Vênus em Aquário, que é a insubmissão aos símbolos ostensivos de status e poder. Vênus em Aquário pensa com a própria cabeça - custe o que custar.

Vênus em Peixes

É a rainha dos detentos
Das loucas, dos lazarentos
Dos moleques do internato
E também vai amiúde
Com os velhinhos sem saúde
E as viúvas sem porvir
Ela é um poço de bondade
E é por isso que a cidade
Vive sempre a repetir
Joga pedra na Geni
Joga pedra na Geni
Ela é feita pra apanhar
Ela é boa de cuspir
(Geni e o Zepelim)

Comentário: Na mesma Geni e o Zepelim é possível vislumbrar outras características, agora definindo a mulher com a disposição sacrificial ou com a baixa capacidade de discriminação afetiva de Vênus em Peixes (ou de Vênus-Netuno em aspecto tenso). Os versos apresentam uma sucessão impressionante de imagens netunianas: detentos, lazarentos, internato, velhinhos sem saúde, poço de bondade... Um inventário digno de figurar em qualquer manual de Astrologia!



Publicado por Paula Valentina às 22:33
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

Pesquisar neste Blog
 
Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Posts Recentes

Lua em Gémeos

" 2012 "

Signos

Lua em Áries:palavra-chav...

Lua em Capricornio

Conheça o Ascendente

Horóscopo Xamânico...

Sol em Balança e Lua em L...

O homem de Lua em Leão:

Lua em Leão

Arquivos

Maio 2010

Abril 2010

Setembro 2009

Junho 2009

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Favoritos

Memórias vilacondenses (V...

Caleidoscópio

blogs SAPO
Fazer olhinhos